tentante

Cama “des-compartilhada”

Thomas tem sua própria cama. De solteiro,com box e tudo.

Depois de praticamente 2 anos dividindo o colchão, ele foi promovido a “dormidor independente”.

Quando ele nasceu e veio para o quarto,logo empurrei para longe aquele bercinho do hospital e fiquei 2 dias e meio colada nele. Literalmente,colada. Queria ficar junto e não tinha a menor vontade de deixar meu pequeno longe de mim.

Quando fomos para casa,eu tinha o bercinho dele montado no quarto ao lado,que convenhamos,em um apertamento de 50m2,não era muito longe,mas eu não me sentia confiante em deixar ele lá.Parecia errado. Parecia grande demais para um bebezinho.Então,ele passou a dormir no carrinho,ao meu lado.Eu acordava para ele mamar, arrotava e depois colocava no carrinho, onde  dormia até a próxima mamada.

Foi assim até quase 3 meses,quando coloquei ele num bercinho desses de viagem ao lado da minha cama,já aqui em Madison. Eu o ninava, que dormia no meu colo e depois o colocava no bercinho. lá pelas tantas da madrugada,ele acordava e assim que eu o punha ao meu lado na cama,dormia instantaneamente.

Fomos para o Brasil e eu coloquei o berço que lá temos no meu quarto e seguimos esse padrão: dormia comigo,ia pro berço,de madrugada vinha pra minha cama.

Quando voltamos para Madison,ganhamos um berço super top,de madeira e eu montei ele ao lado da minha cama,sem a grade e foi ótimo!Thomas dormia a noite inteira,EU dormia a noite toda e marido também. Ficamos nesse esquema até mais ou menos um  mês atrás,quando eu percebi que o berço estava ficando pequeno eo Thomas acordava chutando a grade,eu, e tudo que alcançava pela frente.

Decidimos, então,colocar uma cama para ele no nosso quarto ( nosso AP tem um quarto só),com aquelas barras de segurança. Montamos o colchão e o box,eu falei para ele uns dias antes que ele dormiria ali e a mamãe e o papai ali do outro lado. Ele achou tudo muito legal e ficou super animado com a camona.

Pois bem, na primeira noite, acordou várias vezes,me chamando e batendo a mão no travesseiro pra eu ir deitar com ele.Fui, dormiu,voltei pra minha cama. Fiz isso várias vezes durante aquela noite e na seguinte. Na terceira, ele dormiu a noite toda e por aí foi.

Tem dias que ele acorda,tem dias que vai direto e eu vou acompanhando. Nunca largo ele desamparado e tenho a paciência de atender e fazer com que ele se sinta seguro,pois no fim é isso que importa,ainda que eu pareça um zumbi.

Eu fico imaginando como deve ser punk a pessoa acordar a noite e ter que ir até outro quarto,pegar a criança,amamentar,arrotar,deixar lá e voltar a dormir.Compartilhando a cama,é a coisa mais fácildo mundo: saca o peito pra fora e a gente se ajeita. (eu não tive essa oportunidade,por motivos de mamilos polêmicos,como vcs já sabem)

O que eu aprendi compartilhando minha cama com meu filho?

Aprendi que o contato o filho com a mãe, nesse começo é uma PUTA base de segurança.  Ele SABE que estou ali sempre.

Aprendi que ter uma mãozinha te procurando à noite é uma delícia,mas as vezes essa mãozinha vira um tapa, um chute,um puxão de cabelo.

Aprendi a confiar nos meus instintos e “ouvir” meu filho,ainda que ele não soubesse falar. O Thomas é bem coladoem mim, esuper sensivel.Eu tenho certeza que ele teria outro comportamento, mais irritadiço,se tivesse ficado sozinho nesta hora.

Aprendi que bebê que dorme a noite toda existe sim e isso se deve em grande parte ao fato de ele saber que eu estava ao lado dele. Desde os 6meses o Thomas dorme a noite toda,com raras exceções em que acordava o tempo todo.

Mas o mais importante é que eu aprendi que dormir colada com meu filho é a coisa MAIS deliciosa do mundo e que criança nenhuma fica”estragada”,por isso.Pelo contrário,Thomas é todo seguro de si e de nós!

 

Anúncios

5 comentários em “Cama “des-compartilhada”

  1. Também fizemos cama compartilhada! Mudamos para o quarto dela com nosso colchão, o que facilitava nossa vida!
    Um belo dia, voltamos para o nosso quarto, compramos um colchão de casal para ela e dorme só, à noite inteira, desde um ano e três meses! Claro que na primeira semana ficou chamando, mas atendiamos sempre e dando explicação que estávamos ali perto e é só chamar!
    Beijocas para vocês.

    Curtir

  2. concordoooo acordar agarra neles é tudo.
    No meu caso a coisa começou a ficar seria quando ele fez dois anos, então ele pulou pra caminha dele q por sinal amou , por ser espaçosa e ser no nosso quarto hihihi

    Curtir

  3. E quando a gente consegue descompartilhar bate até uma saudadezinha daquela cafungada no cangote no meio da noite, de ouvir aquela respiração pesada do sono profundo… Mas eles crescem. E ficam com braços e pernas surpreendentemente pesados, que são espaçosos e fatalmente nos atingem. :O
    Ainda assim, cabe a gente esperar eles ficarem maduros pra terem sua própria cama, longe da nossa.
    Com certeza seu acolhimento permitiu que com o Thomas fosse de boa.
    Viva!
    Bjs

    Curtir

  4. Oi, Carol!
    Aqui eu queria muito que a Liana continuasse dormindo no nosso quarto, mas quando ela tinha uns 4 meses ela foi pro quarto dela, cama baixa no chão, estilo Montessori. Eu as vezes durmo parte da noite com ela. Teve época que ela acordava 4 vezes por noite. E não adiantava pai ir não! Tinha que ser a mamãe aqui com as peitolas. Mas me acostumei, ficava cansada mas nem tanto. Hoje Liana dorme melhor, ela ainda acorda 1 vez por noite, as vezes o pai que vai a acalentar e ta funcionando bem. Cada familia tem uma dinamica diferente. Mas jea tenho planos pro proximo baby dormir mais tempo conosco.
    Beijos!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s