tentante

Começa a Escola

Dia 4.11, ele fez dois anos,por isso, dia 5.11,começou efetivamente a escolinah,.sem a mamãe por perto.

Há duas semanas eu levava ele para a escola por algumas horinhas e lá ficava, primeiro para observar o comportamento da professora e dos colegas e também para que ele se sentisse amparado num ambiente até então estranho. Nestes primeiros dias, cada vez que eu me afastava, ele já fazia biquinho me chamando. Eu morria de pena e pensava que o primeiro dia separados ele surtaria (e eu também).

Até que o fatídico dia 5 chegou e ele começaria. Pausa aqui para explicar que americanos tem SIM um jeito MUITO diferente de nós brasileiros no que diz filhos. Eles criam para que aos 18 anos a criança vá embora pra faculdade e nunca mais voltar pra casa dos pais. SAbe aquela coisa de filme? Pega as malas e #partiu? Então…. Isso explica em parte toda essa leva de profissionais americanos criando técnicas pro bebê dormir sozinho,não chorar, eu acho que até em parte essa questão da não amamentação aqui tem a ver com essa pseudo-independência,mas isso é coisa da minha cabeça,observação minha. Despausa aqui. Eu crio o Thomas toda trabalhada na disciplina positiva. Explico,dou abraço, dou beijo, atendo quando ele pede,deixo ele dormir colado em mim quando ele quer,enfim.Sou brasileira, né? E senti muito essa sensação de “abandono” das demais crianças. Não sei,pode parecer bobagem,mas senti aquelas crianças meio carentes de beijinho…rsrsrs

Mas enfim, o dia chegou e eu falava pra ele desde o dia anterior que ele ia pra escola e ficaria sozinho. No que ele respondia: “nonononononono”.Uma sequencia de nãos….Chegamos na escola, ele viu outra professora, que montou uma torre de legos e deixou ele derrubá-los, coisa que ele mais ama fazer. Até que eu mencionei ir embora.  Aí o bichinho desandou a chorar,eu fiquei com pena, ele se agarrou,eu agarrei de volta, dei beijos,falava que já voltava,ele desagarrou,a professora pegou ele no colo pra ele ver o trem e eu vazei! Apertei o botão do elevador que nem uma louca pra chegar logo e nada. Até que ouvi ele vindo em direção da porta chorando,falando mamã, mamã. JURO que senti estar abandonando meu filho pra adoção,sabe? Que dor no coração, que horror!

Voltei pra casa e não mais que 10 minutos depois,a professora me mandou uma foto dele comendo e rindo. Brincando de massinha.De trenzinho. Na área externa. Com bola.E quando vi, já era 11:30 e lá fui buscar ele, toda feliz. Tava super ansiosa, com frio na barriga mesmo! Ele me viu, nos abraçamos,ele voltou pracasa,almoçou e dormiu a tarde agarrado em mim.MAs mais porque eu agarrei ele….
O bom é que nestas quase 4 horas que ele ficou fora,eu arrumei a casa, trabalhei um monte e ainda tomei um belo de um banho.

A escola tem uns prós e contras, tipo:

Prós:

-É pertissimo de casa, 8 minutos andando.

-È limpa, organizada, dentro de uma faculdade. Não tem carpete dentro.

-Tem poucos alunos e professoras dedicadas.

-Não é tão cara.

-Todas as crianças que vi,nenhuma chorou em momento algum.Pra mim,é um sinal de que estão felizes ali.

-A professora manda fotos do Thomas várias vezes pela manhã.

-Ele não precisa estar desfraldado para entrar lá.

Contras:

-Eles usam o tal “cantinho do pensamento” com as crianças mais velhas.Acho improdutivo.

-Esse negócio de mandar fotos o tempo todo me deixa meio cabreira, porque a professora fica no celular,as vezes fazendo facetime com os pais. Ainda não tenho uma opinião formada sobre isso.

-Eu acho que a professora não oferece água para as crianças e acho isso péssimo,afinal eles desidratam facilmente.

No mais, hoje é o terceiro dia em que ele fica sozinho na escola. Fez biquinho quando eu saí e mais nada,porque na quinta feira passada ele não foi e ficamos muito tempo juntos…rsrs

 

No geral,estou gostando bastante. Acho que para ele vai ser ótimo ele poder ter  contato com o inglês e com essa cultura infantil de outro país,pois eu não conheço as musiquinhas, as brincadeiras (pega-pega se chama Cookie Monster) e para ele vai ser super benéfico!

E para vocês, como foi essa transição da escolinha?

 

Anúncios

5 comentários em “Começa a Escola

  1. Olha, foi traumático… Mas foi em uma escola dita importante aqui em São Paulo. A coordenadora pedagógica e as “tias” não tinham empatia nenhuma entre outras coisas. Achava que era normal, por ser uma escola renomada.
    Depois de 9 meses, consegui um emprego com horário mais flexível e troquei a Lara de escola. E AMOOOOO de paixão.
    Sabe aquelas escolinhas “vintage”? As tias super carinhosas, atenciosas e queridas. Salas com poucas crianças. Tem seus defeitos, mas colocando na balança foi a melhor escolha. Ahaaa e eles seguem o método Montessori.
    Aprendi com a primeira péssima experiência que temos que seguir nossa intuição.

    Curtir

  2. Cara, eu vou fazer um post sobre isso também!
    A minha transição foi ainda mais intensa que a sua. Vou contar num post em breve.
    Mas também senti essa diferença nas ideias a respeito das crianças e sua independência.
    beijos e parabéns pro Thomas e seus 2 anos (nem consegui comentar no outro post!)

    Curtir

  3. Achei que vcs foram muito bem!! Esse momento da separação é inevitável que seja sofrido… Mas vc tem que dar sempre uma de “Polyanna” e ver sempre o lado bom das coisas. Vc vai ter um tempo só pra vc (4h dá pra fazer MUITA coisa!) e o Thomas vai aprender coisas novas, com pessoas novas, em um ambiente novo. Sentir a separação é normal. Mas os benefícios que vcs vão viver vai superar e muito esse sofrimento inicial.
    Por aqui, o início da escolinha foi bem tranquilo. Elis começou a visitar a escolinha ainda sem ser estudante nela. Brincou umas duas tardes e quando foi efetivamente fardada, pra fazer parte daquilo, entrou e nem nos deu tchau. No próximo ano, como vai ter outro bebê na parada, ela vai ficar no integral e eu acho que vai ser uma nova etapa da adaptação. Mas vamos respeitar o tempo dela e acolher sempre! Em breve colheremos todos os bons frutos, com desenvolvimentos inúmeros a olho nu.
    Sucesso pra vcs! E muitos bjs

    Curtir

  4. Meu filho era menor que o Thomas, estava com 13 meses, na época da adaptacao. Foi tranquilo e eu devo isso também ao fato que foi o pai que fez a adaptacao e é ele quem normalmente leva e trás, mas a minha sensacao de abandonar foi forte igual.
    Em abril ele passa a ficar o dia todo na creche (tenho birra do nome escolinha) e vamos ver. As cuidadores e cuidadores (tem 2 rapazes estagiando :)) nao mandam foto nem mensagem nenhuma. Se acontecer alguma coisa ou a crianca chorar muito eles ligam.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s