Amy · bebê · eua · vacina

As vacinas, novidades e Thomas x Amy

Aí que sexta feira passada foi dia de vacinas do 4° mês aqui pro Thomas. Aqui nos EUA (pelo menos em Wisconsin), quem não tem seguro saúde pode vacinar as crianças de graça, em alguma clínica pública. Bastava eu ligar num número que eles agendavam pro dia e clínica mais próximas aqui de casa. Aí fomos vacinar o boneco. chegamos na clínica e já levei um susto: tudo muito organizado, muito limpo e vazio. Entreguei um relatório das vacinas que o Thomas tinha tomado no Brasil e elas tinham visto que a pentavalente deles, não tinha a Hib junto, então ele precisaria levar duas picadas em uma perna e mais uma em outra. Aqui, todas as vacinas dadas na rede pública são acelulares como as da rede privada no Brasil, inclusive a pneumocócia 13-Valente. Decidi que a Pneumocóccica ia ser em uma perna, porque ela é bem dolorida e as demais na outra perna. A fdp da enfermeira, errou a picada e na hora que ela picou o Thomas, a agulha dobrou e ele acabou levando 3 picadas em uma perna e a prevenar na outra. Eu não vi, mas meu marido viu e me contou depois. Eu matei a enfermeira mentalmente, simples assim. O Thomas chorou de soluçar, ficou vermelho, sem ar, eu fiquei com ele no colo e abracei muito, mas me deu MUITA pena.Já deixamos as vacinas dos 6 meses agendadas e fomos embora.

Bom….na verdade, saímos de lá e pegamos estrada (pais loucos define). Fomos pro Kentucky, visitar uns amigos. Agora pensa no carro da família Buscapé: Eu, marido, Thomas vacinado e Amy no carro. Bom, o Thomas foi tranquilo a viagem toda e a Amy pulou do kennel e viajou no colo do marido. Segurança define. Chegamos depois de 8hs de estrada e foi tudo bem. Quer dizer…..tudo bem até a vacina dar reação: Thomas teve febre, ficou irritado, com dor. Soma-se a isso o fato de milhares de pessoas querendo pegar ele no colo, muita informação e um bebê que está no pico da rejeição das pessoas. O primeiro dia foi tenso, porque ele tava beeeeeem #chatiado. Mas todo mundo entendeu e ele ficou bem no domingo, quando a febre passou e ele ficou mais felizinho.

O legal foi que fomos muito paparicados e o Thomas ganhou MUITA coisa! Roupinhas pra quando ele ficar maior, tênis e até chinelinhos! É muito amor! ❤

Aqui nos EUA, como o Thomas já está pesando 7,400g, ele não cabia mais no carrinho e por isso compramos um berço desmontável parecido com o que compramos em São Paulo pra ele e só posso dizer que tem sido ótimo! Eu queria comprar um berço Co-sleeper, que você pode colocar do lado da sua cama e fazer uma espécie de cama compartilhada, mas custava 300 doletas aqui e eu mudei de idéia…. Compramos um berço de viagem da Graco que desmonta e tem sido uma maravilha! O Thomas fica nele durante o dia e dorme a noite nele, até umas 4 da manhã, quando ele acorda pra mamar e depois dorme comigo (porque eu adoro e ele também) até umas 8 da manhã.

Ele ainda não rolou, mas fica de lado, lutando pra virar, é muito engraçado. Ainda saímos no sling e ele ama. Agora preciso aprender a colocar ele de frente. A cabeça dele está bem durinha e ele fica sentado quando eu seguro ele. Ele ama essa perspectiva e ri horrores, o que é raro, porque o Thomas é um velhinho em corpo de bebê: só ri quando acha alguma coisa de fato engraçada.

Agora, ele e a Amy tem sido hilário…. Aliás, não tem sido, porque a Amy ignora solenemente a existência do Thomas. Quando ele chegou em casa, ela surtou. Ficou de mal, não falava com a gente, virava a cara e talz. 3 semanas depois ela já estava normal, mas ignorava ele bonito. Aí viemos pros EUA e ela no auge da carência ficou 1hora do lado dele, quando eu estava com ele no colo. Ele chutou ela e nada. Era como a familia perfeita. Mas….ela se rebelou e continua ignorando ele forévis. Quando ele está na cama com a gente, ela olha que ele está lá e fica no pé da cama. Algumas vezes, eu fingi que dormia e vi que ela ficava perto dele, cheirava e depois saía…. Um dia desses, ele de repente descobriu que ela existe e ficou um tempão olhando pra ela que….pulou e foi dormir. Tipo: “moleque bobo, vou embora”. Agora, durante essa viagem pro Kentucky, aconteceu uma coisa que eu ri demais. Ela estava meio brava porque eu estava fazendo carinho há mais de 10 segundos nela, então, ela pulou na cama, parou do lado do berço dele e miou pra ele que dormia placidamente! hahahha #alouca Basicamente ela dorme na cama quando ele está, mas não deixa eu chegar perto com ele. Ela sai de perto e pronto. Quando nem eu e nem marido estamos perto dela, ela até chega mais assim, dá uma cheirada  e vai embora. Eu não foço a amizade, porque sei que com o tempo ela vai se acostumar e se levarmos em consideração como ela estava quando ele chegou e hoje em dia, já vejo que houve uma melhora de 1000%.

O que eu aconselho pra quem tem gato e vai ter um bebê? Dê tempo ao tempo. Deixe o gato explorar o berço, cheirar as roupas, chegar perto do que vai ser do bebê e nunca force uma situação entre eles. Gatos são por natureza desconfiados e apegados ao dono, portanto se você força demais alguma coisa, ele pode ficar com raiva de você e do bebê. Aqui em casa, mantivemos nossa rotina com a Amy (tirando a mudança pros eua, claro), mas marido continua fazendo carinho nela quando chega em casa, brincamos com ela e evitamos ao máximo mudar a “ordem”das coisas. Só não atendemos ela de pronto, quando o Thomas tá chorando, mas o engraçado é que ela parece entender e espera a vez dela. Aqui, não limitamos o espaço dela, não espantei ela do berço, carrinho, nada. Achei importante que ela tivesse acesso livre, até porque pelos dela o Thomas ia ter de qualquer jeito….

Espero que essas dicas ajudem quem me perguntou sobre o Thomas e ela….hehe

postoClínica pública de Vacinação aqui em Wisconsin. Posso nunca mais voltar pro Brasil? rs

amy e thomas

Peguei a Amy olhando o Thomas assim…Era de manhãzinha e tava super escuro, por isso a imagem tá ruim…

amy e ricky

Thomas e o pai, num bate-papo. A bolota na cama é a Amy….

Anúncios

15 comentários em “As vacinas, novidades e Thomas x Amy

  1. Q legal a clinica Carol! Aqui nao é assim mas o posto em q dou as vacinas na Anna e no Be é suuuper de boa, as pessoas simpaticas, é limpérrimo e tem ate espaço de brincar tb! SUS tem umas surpresas as vezes…rs…e vazio. SEMPRE. Nunca peguei fila!
    Sobre a Amy, bem eu nao conheço bem os gatos e as reações deles, mas aqui o cachorro AMA as crianças e as crianças os odeia! rsrs
    Nessa ordem…rs
    Bjos em vcs

    Curtir

    1. Então, lá perto de casa o posto de saúde é uó, perto do meu trabalho é demais! hahahah Fala sério, é muito diferente mesmo! rsrsrs
      AAAh, agora, na viagem que fizemos, o Thomsa tomou umas 3 lambidas do labrador dos nossos amigos…hehehe Gatos são mais mal humorados! rsrsrsrrs
      bjsss em vcs todos!

      Curtir

  2. Carol, realmente a clínica é maravilhosa, o duro foi a aplicação da cabeçuda da enfermeira né?
    Quanto a Amy, ela está agindo perfeitamente como gato… Rsrsrsrs ignorar é a cara deles. O Berço da Sofia chegou essa semana e a Kate fica lá cheirando desconfiada, até porque a cama dela ficava no quarto e agora teve que ir para o corredor, deve ter odiado!

    Curtir

  3. Saúde no Brasil é mesmo uma vergonha !! Pena que a enfermeira fez toda essa burrice na aplicação!!
    Aqui não temos animais de estimação, mas qdo vamos na minha mãe a cachorrinha tb ignora total a Lorena, as vezes late brava qdo ela chora e aí elas não se entendem rsrsrs

    Beijos

    Curtir

  4. Quando comecei a ler o post da clinica publica, organizada e vazia. Eu so pensava nisso, em nao voltar mais pro brasil! Rs Pq tem q voltar? Pq?
    Vi a fotos de vcs no IG ontem e como ele ja esta um moco, ne?! E cliche! Mas ta passando muito rapido. Bjo gde p vcs!

    Curtir

  5. Carol, é quase um choque quando a gente descobre como pode ser bem atendido em um serviço de saúde que funciona, né? Lembro que, ainda na gravidez, ficava espantada a cada vez que ia na maternidade e tudo acontecia. Parecia mágica. Agora, que coragem de viajar com o Thomas depois das vacinas, gente! E com a Amy ainda! Admirei vocês muito nessa hora. Aliás, adorei a história da (não) interação dos dois, me divirto com o jeito como os gatos reagem às pessoas, tenho duas gatinhas também e elas ignoram minha filha igualmente, como se aquele bolinho de gente em movimento fosse algo tão desinteressante quanto a parede ou a porta… hehehe. Abraço grande, Alê.

    Curtir

    1. Nossa, vc falou tudo!!! o Thomas é tão interessante pra ela quanto a porta! aahaahahahahhaha
      Menina, cheguei a conclusão de que marido e eu somos as pessoas mais sem noção da terra. Cara, 8hs num carro com bebê vacinado e gata? onde a gente tabva com a cabeça? rsrsrsrrs
      Bjs

      Curtir

      1. Hahahahaha, Carol, vocês estão certos. Claro que é loucura mas, ao mesmo tempo, acho que não faz sentido a gente ficar com o pequeno numa redoma de vidro até os 18 anos… Beijocas.

        Curtir

  6. oi carol! as vacinas sao uma tortura necessaria!!!! agora eu tbm fiquei admirada com vc por viajarem em seguida. Quanto a Amy ela e o maximo, toda diva! Eu tenho tres gatos e foi muito tranquilo a interaçao deles com o meu filho, quando ele era bebe de 4 meses como o Thomas tbm era ignorado, mas agora com um ano e seis meses, faz o gato de gato e sapato literalmente!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s