bebê · começo · dúvidas · tentante

A vida como ela é – Com bebê

Bom, aí que a vida “Nas Ìndias”, como diria Pedro Álvares Cabral, tem me deixado sozinha, solitária e com o vocabulário limitado à “aaaahhhh”””, “cadê o nenê”, “fez cocozão?” e risadas banguelas, o que me fez refletir muito em como é a vida depois que você tem um filho. Na real, porque aquela história de que “é seu coração batendo fora do peito” é linda e talz, mas além do coração que bate fora do peito, é seu pulmão e suas cordas vocais que gritam de madrugada, é seu intestino que parece estar com diarréia EVER e completamente sem controle dos seus gases, é brincar de fazer seu órgão urinário acertar paredes e afins…ou seja, é ter seu corpo inteiro clonado, numa versão primitiva.

Pensando nisso, resolvi listar algumas coisas que nunca imaginei como fossem, com filho….

– Ir ao mercado no Brasil era batatinha: Colocávamos ParasiThomas no bebê conforto e voilá: dormia e a gente ia no Pão de Açúcar, porque lá é lugar de gente feliz, como era nosso caso. Aqui nas Índias, a gente não tem carro. Estamos de busão. Imagina pegar um busão com uma criança de 3 meses, com frio, onde tudo é novidade -o país, o mundo e os estímulos visuais.  Resultado: bebê chorão, pais idem, compras ligeiras e sempre esquecendo alguma coisa, nos fazendo voltar ao mercado e ao looping eterno de choro!

-Dormir. Engraçado quando as pessoas diziam: “dorme tudo agora, porque depois…”. Tipo, em 9 meses eu devo dormir o equivalente a uns 7 anos? É porque criança acorda sempre de noite…Eu mesma acordava com essa idade e ficava atrás da minha mãe, com medo de tudo. E agora, com o Thomas, faz teeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeempo que não sei o que é DORMIR direito. Porque né, mãe é tudo besta: fica com medo de ele não respirar ou engasgar e o sono fica mega leve, justo eu que sempre dormi como PE-DRA.

-Você vem pra casa com um recém nascido delícia: pequeno, quietinho, mama-dorme-caga-mama, mal abre os olhos. Um dia ele acorda e resolve que aquela vida é besta demais e o que ele quer é vid4 l0k4! E começa a fazer pequenas sonecas durante o dia, que basicamente dá pra você escolher: fazer cocô ou escovar oa dentes?
-Tem também a questão do nojo: vc adulta, toda trabalhada no nojinho se vê vomitada, com baba na mão, no cabelo e afins. Se vê tirando catota do nariz alheio, limpando a cera de ouvido e o mais impressionante: se vê limpando atrás da orelha de um bebê que tava com aquele cheiro de chulé azedo e o pior de tudo isso?
Simplesmente não ter nojo.

– ser mãe me ensinou ainda a ver programas de tv pela metade, porque né? Nenê nenhum no mundo dorme um episódio de Friends inteiro.

-também aprendi que sexo bom é sexo rápido, porque olha, vou te contar: esse menino tem um radar de ereção! Basta o negócio ficar legal que você ouve aquele choro sofrido, doído, como se alguém tivesse apanhando.

-Gostei muito de amamentar! Mesmo usando o bico de silicone, o Thomas sempre pegou direitinho e era uma delícia amamentar. O que era ruim, era a sensação de que o mamilo tinha escorregado num ralador depois da mamada.

-aprendi até agora que não preciso de musculação tendo um filho de seis kg que adora dormir sendo balançado. É balança daqui, pula dali e pronto: tô ficando sarada!

-comecei a dar muuuuuuuto valor à minha mãe, porque olha, dois filhos é osso, ela foi guerreira, porque eu com um já tô pedindo arrego!
Por fim, aprendi que ser mãe é foda. Às vezes uma delícia, outras dando vontade de sumir e ir ouvir bon jovi no ultimo volume! Mas nesses dias, ele parece saber que tem sido difícil e me brinda com essa cara;

20140210-213728.jpg

Aí meus amigos, tudo faz valer a pena!

Anúncios

23 comentários em “A vida como ela é – Com bebê

  1. Hahaha tudo verdade! Quando eu tive a Bebella tive um baby blues forte, quase depressão, porque me caiu a ficha que eu ninca mais ia dormir. Não no sentido prático de ser acordade pelo baby, pq acredite, passa. Mas no sentido de paz de espírito. Nunca mais eu vou estar “tranquila”. Elas podem ter 10, 20, 30, 50 ou 80 anos que eu vou estar preocupada. Os problemas delas vão mudar, mas eu sofrer vendo ou só de imaginar o sofrimento delas, ah isso é pra sempre.

    Ah sobre as compras: faz online mulher! Dá pra escolher tudo, analisar as promoções com calma e entregam na sua casa no time slot combinado. Qdo a gente morava em Londres e não tinha carro era só assim. Ao vivo era receita pra desastre!

    Bjos

    Curtir

  2. Que lindo relato!
    Acompanho seu blog porém nunca comentei… Mas hoje me identifiquei muito, ainda não sou mãe mas sei que nem tudo é lindo e florido,rs, e o seu texto mostrou esse outro lado que algumas mães insistem em não divulgar: a solidão, o fato de precisarem de tempo e espaço para serem elas mesmas.
    Parabéns pela sua história e pelo bebê lindo!
    Bjs!

    Curtir

  3. Olha, menina, esses últimos dias aqui tô na fase “pedindo arrego”. Alice aprendeu a morder meus mamilos e começo a sentir um pouquinho do que você falou (hahahahahah morri de rir do exemplo!). E olha que ela nem tem dentes ainda.

    Quando paro de brincar com Alice e ela dorme, me resta uma louça totalmente suja, um xixi acumulado e escovar os dentes. Aí faço tudo isso e ela já acordou e lá vamos nós de novo fazer as caretas. Aí ela dorme, tem o resto da louça, tem roupas pra colocar na máquina, comida pra fazer (que vai sujar mais louça). E então ela acorda. E olha que aqui o marido ajuda MUITO, faz almoço, também lava louça, põe ração pras cachorras.

    Mas ele vai pro trabalho, conversa com outras pessoas, vê rua, fica o dia no ar condicionado (aqui onde moro não tem lugar pra ficar, de tanto calor!!!) e eu fico em casa praticamente pelada, com uma bebê irritada. Alice tem ficado irritada, ela não ficava antes. Eu tenho ficado irritada.
    Então chega a noite. Minhas pernas estão latejando, eu quero mesmo é dormir, nada de sexo. Never more. E começa a rotina de chorinhos e mamadas da madrugada.

    Um ciclo sem fim.

    Nossa, acho que nem comentei, desabafei!
    Mas vamos lá! Vamos lá porque é o tal negócio: vai passar, vai passar, vai passar, vai passar, vai passar, vai passar, vai passar.

    Bjos!

    P.S.: Filho lindoooooooooooooooooooo o seu! Pronto, passou, quero mais bebês!

    Curtir

  4. Carol, puxa, essa parte dureza é bem complicada, né? Ainda mais em outro país, passando muito tempo sozinha. Ainda mais no inverno. Tudo isso contribui para a gente ficar bem cansada e à flor da pele, viu? Portanto, se dê um desconto. Quando o maridão chegar em casa, pede pra ele ficar um pouco com o pequeno e vai tomar um banho ou fazer algo que seja por cinco minutos só você e você. Isso ajuda a dar uma recarregada. Fora o sorriso lindo desse menino lindo mas, isso, você sabe melhor que eu, né? Beijocas.

    Curtir

    1. Nem faleeee! Mas agora ta melhorando o tempo e acho que eh uma fase de adaptaçao! Ah, depois que eu dou banho nele, eh minha vez de tomat banho e marido cuida do pimpllho enquanto eu leio os rótulos de shampoo! Hehehe
      Bjos

      Curtir

  5. Hahaha Carol morro de rir com seus posts!
    Vc faz momentos não tão fáceis ficarem tão engraçados!
    Mas vc e seu príncipe vão tirar tudo de letra!
    E que parasita mais lindooooo esse seu hein! Imagino que vc escute isso mto, mas que olhos lindos!!!!
    Bjos!

    Curtir

  6. Kkkkkkk é tudo assim mesmo! As coisas que ninguém te conta, ou se contam, vc não acredita antes de ter filhos!
    Lavar cabelo é um luxo e tanto! Sem exagero algum! Número 2?! Só se os atros se alinharem e sua vontade coincidir com a soneca! Casa arrumada? Nunca mais! E por aí vai! Kkkk chega a ser cômico mesmo esse dia-a-dia.
    Mas passa… Já tô na segunda rodada, com uma bebeia de 1 mês! E vou te contar: da segunda vez é beeeeem mais fácil em todos os quesitos ( acho que vc já sabe que nem sempre é tudo lindo, então encara numa boa 🙂 bjs e boa sorte por aí!

    Curtir

    1. Nossa ja nem lembro mais o que é fazer cocô lendo revista! Hahahahhahahahaha
      Esse lado b da maternidade precisa ser compartilhado! Ahhahahah hj meu marido pediu pra eu dar o leite pra ele, mas eu precisava tirar o bigode! Hahaahhaah
      Bjos

      Curtir

  7. HAHAHAHAHA aqui em casa passamos por algo parecido algumas vezes rs… A coisa ta no caminho e ouvimo um “huennnnn” ou “da…DA! DA!” e tudo é interrompido rs… Mas, ó, vou te contar… Que bebê maravilhoso (tirando os causos citados rs), hein! Valha-me, Deus! bjs

    Curtir

  8. Amei seu blog, eu tenho trigêmeos e já passei por tudo isso com três bebês, ouve até uma ocasião em tive de dar banho em um deles lá pelas 3 da madruga, enquanto os outros 2 choravam como se não houvesse amanhã.

    Bejus e tudo di bão.

    Curtir

    1. Nooosa trigêmeos é osso duro hein? Caramba! Hahah eu acho q tinha pedido arrego! Hahahaha
      Caramba eu imagino o pânico que deve ter sido os 2 chorando e é engraçado que eles choram como se a gentr tivesse arrancando um braço deles né? Hahah
      Bjod e parabens pelos pimpolhos

      Curtir

  9. Carol, adoro o seu blog!!
    Acompanho desde que o ParasiThomas estava pequenino crescendo dentro de vc.
    E agora ele está enorme!!! Fico feliz!!!!
    Estou encantada com o sorriso lindo dele! Parabéns pelo filhote, pela coragem de ir aos EUA acompanhar o marido e por ter tanta leveza em encarar tudo.
    Estou com 34 semanas de gestação e lendo seus relatos vou me preparando melhor para a vida real pós-parto!
    Beijo grande.

    Curtir

  10. Vc falou tudo, Carol. Tenho uma bebezinha de 4 meses e é bem isso que vc falou. Uma ida ao supermercado é uma epopéia. E andar com ela na cadeirinha do carro?! Vc aprende que dá pra fazer quase tudo com um braço só pq o outro está devidamente ocupado pela pimpolha. Privacidade? ! Nunca mais… todas as necessidades são feitas de porta aberta e conversando com o pequeno ser pra ver se ele colabora. Mas aí é o que vc disse, qdo o dia tá mais pesado, vc tá morta de cansaço e ainda assim ela não quer dormir e vc começa a perder a paciência, eles parecem que sabem, olham no fundo do seu olho e te abrem aquele sorriso banguela e vc pensa que nada nem ninguém é mais importante que eles e já não imagina mais a vida sem eles. Ps: Depois que fui mãe, nunca mais ousei levantar a voz ou perder a paciência com a minha mãe. A gente só dá o devido valor qdo entra pro mesmo time.

    Curtir

  11. Tirei a tarde para visitar os blogs das amigas, coisa que não conseguia fazer há algum tempo, devido à correria das últimas semanas… Como o Thomas está um moço! Lindo! Seis kgs, já?! Vai ficar sarada mesmo! Continue dando notícias do estrangeiro… Hehehe! Beijos

    Curtir

  12. É tão difícil ser mãe né? Quando eu me lembro de quando era criança achava tudo tão fácil pra minha mãe, achava q ela já tinha nascido sendo minha mãe. Mas a transformação é mt difícil. Imagino pra vc que agora tá longe de tudo e de todos. Mas com o tempo acostuma. Eu a maioria das vezes já me sinto mais mãe , rs.
    Tomara que de tudo certo pra vcs ao, que aproveitem bastante a viajem.
    Beijos

    Curtir

  13. Muito bom! Incrível como as mudanças são semelhantes! Mais incrível ainda como não tinha noção nenhuma de nada de vida após maternidade antes de ser mãe! Por falar em mãe, acho q o último tópico é unanimidade.
    Ta um gato esse menino!
    Bjs

    Curtir

  14. Oi Carol! acompanho seu blog desde que descobri que estava grávida. Pesquisando na internet sobre grávidasbebês e gatos te encontrei e não te larguei! Sou gateira de carteirinha e tenho um neego lindo e mimado em casa: o Café. fiquei curiosa em saber como a amy se comportou e se comporta com seu bebê lindão! poderia rolar um post sobre o assunto, que tal?
    um beijo
    Mel
    ps. Teu Thomas tá cada dia mais lindo!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s