bebê · Blogagem Coletiva · exames · parto · terceiro tri

Consulta e BC – Você está com medo do parto? Já decidiu o “tipo” de parto?

Bom, o tema da blogagem coletiva de hoje, foi proposto, er…POR MIM! hehe

Falando sobre parto, porque é o desfecho inevitável de toda gravidez, eu digo que sempre tive certeza de uma coisa: só farei cesárea se de fato precisar de uma. Quando pensava em engravidar,  há uns bons 3 anos atrás, eu não imaginava que ter um parto normal e respeitoso fosse algo tão difícil nas terras tupiniquins e me assustei com isso – primeiro, porque grana pra bancar um parto decente, eu nunca tive e segundo, porque era difícil para mim entender como podem os médicos nos tratarem assim? E o tempo passou, eu li, reli, li de novo, estudei, me informei e pimba – engravidei. Minha primeira consulta com um médico TOP humanizado, foi com quem eu queria que me acompanhasse desde sempre, porém, o cacife pra isso era inexistente. O médico é demais, top dos tops, passa a maior segurança do mundo, mas eu não tinha essa grana, então, ele me recomendou a Dra. Cátia, que além de “parte do movimento”, é amiga pessoal dele. Fui na consulta e me apaixonei. Disse para ela logo de cara os motivos pelos quais eu estava lá e como eu desejava que fosse meu parto. E estava decidido, com o maior apoio dela – e do marido. Eu quero um parto natural. Sem intervenções desnecessárias em mim ou nele e mais importante, eu quero que ele nasça, ou ao menos dê o sinal de que está pronto, caso eu precise de uma cesárea.

Só que há uns dias, comecei a sentir um medinho do parto. Tipo, começou a cair a ficha de que é real, ele VAI sair daqui e vai precisar de um trabalho conjunto comigo e só comigo para isso. Engraçado como a cabeça da gente é maluca, né? Eu sempre tive curiosidade de saber como é o processo do parir, de como é ter uma vida saindo de mim, dependendo de um trabalho conjunto, mas aí eu comecei a ficar meio com medinho, por causa exatamente disso: depende de nós. Depois eu penso que isso é bobagem, que todo mundo consegue, mas aquela pulguinha vai ficando atrás da orelha, afinal, eu nunca passei por isso, então, dá aquela aflição de não saber o que esperar, mas eu sou corajosa, sempre enfrentei meus medos e consegui me sair bem! Veremos em breve como será o parto! 😀

Para o próximo tema, eu indiquei a Natália, que deu como tema: “do que você vai sentir falta da sua gravidez? E do que você não vai sentir falta alguma?”. Adorei! Tenho uma lista! heheheheh

______________________________________________

Ontem tivemos mais uma consulta com a Dra. Cátia! Impossível não dizer que ela é demais! Desta vez marido conseguiu me acompanhar e foi bem bacana! Thomas está ótimo, com coração batendo a 144bpm/min e está viradinho! Cabeça lá embaixo, corpo à direita da minha pança e perninhas em cima do meu estômago: um enroladinho de bebê! ❤ Estava tudo certo, minha pressão ok, peso ok, altura uterina de 30cm, tudo certo. Saímos de lá com um pedido médico de exames de sangue do terceiro tri (na verdade um repeteco dos do primeiro)  e mais uma indicação de US de terceiro tri. Super legal, porque já faz quase 3 meses que vi o pequeno parasita! Vou tentar marcar para dia 05/10, pois dia 8/10 volto em consulta, que agora fica a cada 3 semanas até ele nascer. Na próxima consulta, ela vai me dar o contato da fisioterapeuta especializada em Epi-No e vai me passar (ou melhor, passar pro marido) a massagem perineal.  A Dra. Cátia disse que faz pelo menos 5 anos que ela não faz episio em pacientes dela e disse que só o fato de usar o Epi-No já faz com que a chance de laceração natural caia para menos de 5%. Vou me dedicar a usar e garantir a integridade da Carolzinha.. 😀 Além disso, a Dra. me emprestou o livro dela, Parto Ativo, da Janet Balaskas, que é MUITO legal! Comecei a ler ontem mesmo e já estou querendo ler mais.

E é isso, seguimos firmes e fortes, esperando o pequeno parasitinha chegar! 😀

Anúncios

23 comentários em “Consulta e BC – Você está com medo do parto? Já decidiu o “tipo” de parto?

  1. Oba!! Thomas logo, logo estará aqui fora através do seu tão sonhado PN (olhaaa, já sei as “gírias” das gravidinhas) kkkk… =) E teremos mais um pequenino correndo nos parquinhos do nosso condomínio!

    Beijos!

    Curtir

  2. Show, show!
    Muito boa sua médica, vc tirou a sorte grande! Isso é um grande começo pra findar com seus medos né? rs

    carol…eu MORRO de medo do parto…hahaha…ja passei por um (ok cesarea não é bem um parto, mas né) e achei q nunca mais teria medo disso e ah ta bom…morro de medo!
    Mas é natural. Tudo q nos é desconhecido nos causa medo!
    E pior, qdo nos é conhecido causa muito mais! rs
    natrual do ser humano e até saudavel. É um medo saudavel, normal, nada q eu precise tomar medicamentos pra controlar…rs

    Mas é isso aí, até eu amo sua m[edica…rs

    Beijoooos

    Curtir

    1. Pois é Than!!! é inevitável não ter medo do desconhecido, né?! hehehehe AAAAh, mas que nada, nascimento é nascimento, não importa a via, deve dar um cagaço anyway! eehehhehe
      Minha médica é só amor! hehe adoro ela!!!
      bjsss

      Curtir

  3. Oi Carol, adoro as suas consultas com a Dr. Cátia. Eu não a conhecia muito bem, mas agora quando eu engravidar, tenho certeza de que ela será uma das minhas opções.
    É sempre muito bom ler que vc e o Thomas estão bem e que o seu parto provavelmente será do jeito que vc sonhou.Tenho uma amiga que mora perto de Campinas que vai ter um parto humanizado, muito provavelmente essa semana. Ela me disse que está com esse “medinho” que vc também sente.
    Vc vai fazer a consulta do epi-no com a Dr. Miriam??
    Já fez o seu plano de parto??

    bjinhos

    Curtir

    1. Ah, ela é apaixonante mesmo, vc vai ver! Então, ahco q esse medinho é normal mesmo…é o famoso medo do desconhecido! hehe
      Ah, ainda não sei o nome da fisio que vai me orientar sobre o uso do Epi-No e já fiz o plano de parto sim!! 😀
      vou ver se posto aqui no blog!!!
      bjsss

      Curtir

  4. Eu já tenho o parto ativo! ❤ Tá aqui na minha biblioteca pós-positivo. rsrsrs
    Quanto ao medo, ah, quem não vai ter? E é bom que vc pense nele agora, trabalhe esses pensamentos, pra não te atrapalharem na hora.
    Menina, contrata uma doula vai. Comparado ao preço da equipe é tão mais barato. Já tá na chuva, se molha logo toda!!! hahaha Ela vai te ajudar a trabalhar essas coisas.
    (ou vc já contratou e eu tô ocmendo mosca? É tanto plano de parto pr'eu me lembrar. hahaha)
    Beijo!

    Curtir

    1. hahahah Esse livro é mto legal, eu estava ensaiando para comprar, mas ela ofereceu o empréstimo! dá vontade de ficar lendo o dia todo!!! 😀
      Estou pensando na doula, mas não sei se vou contratar não… vamos ver….é só um medinho bobo, nada de pânico! hehehehehhehe
      bjssssssssss

      Curtir

  5. Medinho é normal – e bem vindo! A medida certa é aquela que não nos faça desistir do parto como a gente quer. Quero saber das impressões do Epi-No! Por aqui, tô achando super difícil de encontrar quem trabalhe com…
    Ah! Esse livro é tudooo!! Agora vou começar a ler “A Maternidade e o encontro com a própria sombra”, Laura Gutman. Ainda não li, não posso recomendar. Mas algumas mães já me disseram que seria reveladora a leitura :O
    Bjs

    Curtir

  6. Carol, este medinho é normal, é claro! Mas há um tempo atrás li uma entrevista linda com uma moça brasileira que é paraplégica, ficou grávida e teve a filha de parto normal. Estou procurando a entrevista agora pra te mostrar e não acho de jeito nenhum… Mas lembro que ela disse que mulheres em coma podem parir sozinhas. Pode parecer estranho, mas isso me alivia o medinho de parto. É porque meu medo não é simplesmente da dor, é de não dar conta. Mas olha como é algo natural mesmo, até alguém em coma, sem se mexer, consegue dar a luz!

    Curtir

  7. É esse e outros tipos de medo que nos levam a criar estrategias e um desejo genuino de superacao!! E oh!! Naturalissimo!! Quem nunca?? O que atrapalha, na minha humilde opniao e o medo exagerado, esse pode nos paralisar. Mas se e medinho… Ta tranks!! Rs bjos!!

    Curtir

  8. Carol, leio o blog há um tempinho, mas nunca comentei. Porém, vendo o teor do post, não posso deixar de dar meu pitaco, rs. Esse “medo” é natural, acho que é mais um receio do desconhecido do que medo, propriamente. O finalzinho da gravidez é cheio de expectativas, nossas e dos outros, daí essa ansiedade.
    Você se preparou, está com uma equipe excelente, terá a segurança de estar num hospital (eu sempre fiz questão de ter um PN, mas num ambiente hospitalar). Quando chegar a sua hora, vc não vai sentir medo algum, pode ter certeza. É impressionante como as fases do TP nos enchem de coragem.
    Eu comecei a sentir esse medinho no final tb. Mas o que me tranquilizava era que não tinha jeito, uma hora o Gustavo ia ter que sair (rs), e tinha que ser via PN! Ele nasceu há quase 6 meses na sala delivery do São Luiz. A minha equipe não era tão humanizada quanto a sua, mas a minha médica respeitou a maioria dos meus pedidos – mas não escapei da episio, mesmo tendo me preparado com uma fisio (na próxima gravidez vou tentar o Epi-no). Mas o que realmente importou foi que o Gustavo veio pra mim assim que nasceu, mamou e ficou conosco por mais de 2 horas no delivery.
    Bom, tudo isso pra tentar te passar uma super energia positiva, vai dar tudo certo! Bjs pra vc e pro ParasiThomas (eu adoro esse nome, mas o marido vetou…)

    Curtir

    1. Ah, q legal q vc conseguiu um PN!!!! é, eu sei q [e normal, tudo que a gente não conhece dá mesmo essa apreensão….mas é como meu marido disse: se entrou, vai sair! heheehehhehe
      Bjoks e obrigada pela leitura! 😉

      Curtir

  9. Puxa, Carol, acho que dá mesmo um medo, especialmente no final. Como andar de montanha-russa, a gente quer porque quer mas, quando o carrinho sobe devagar até lá no alto de onde vai começar a descida, a gente bem pensa em sair correndo e desistir. Eu tive medo quando chegou perto do final, mas te juro que o que mais me assustava eram as pessoas, a equipe – pois não foi tão escolhido quanto você pode fazer – se eu ia conseguir ser respeitada, se ia precisar brigar até nesse dia, se ia passar por algum tipo de violência ou constrangimento. Agora, o engraçado é que, quando a bolsa estourou, virei um monge budista, não sei de onde tirei tanta calma. Então, minha cara, coragem… é apenas o começo. 😉 Falando sério, você fez tudo que estava ao seu alcance, agora acho que o mais importa é, chegando a hora, se entregar. Isso é super difícil, esse abandono de si, mas eu acho que é o que faz a coisa toda funcionar. Dedos cruzados do lado de cá. Abraço.

    Curtir

    1. Nossa, vc definiu exatamente como eu me sinto! hehe ´[e bem isso mesmo! o que tem me deixado tranquila realmente é a confiança na equipe, mas mesmo assim, esse processo de “entregar o corpo” pra algo que nunca passei realmente assusta!
      Mas agora, já era! bora encarar! hehehehehe
      bjssss

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s