Uncategorized

O treino maternal

E aí que voltamos de férias. 14 dias em um país que dá orgulho de estar.  Amigos patriotas, nada contra, mas eu e marido simplesmente moramos aqui por falta de opção. Se pudéssemos iríamos a qualquer lugar. Preferimos gelo à violência e trânsito. Ponto final.

Mas enfim, a grande cerejinha do bolo destas férias, foi acompanhar o dia a dia de um bebê de 1 ano e meio. Por mais que vejamos com pessoas, amigos e etc, acompanhar o dia a dia foi muito legal, até porque o marido tinha convivência 0 com crianças, já que ele é o caçula da família.

O que pudemos notar nestes 14 dias é que é trabalhoso, mas não difícil. Delicioso, porém não fácil e muito, mas muito divertido! O bebê em questão é filho de uma alemã com um brasileiro e por isso, entende os 3 idiomas: português, alemão e inglês. O engraçado era falarmos em português e alemão e ele atender.

Uma coisa que nos espantou muito – não sei se em toda Londres é assim – mas as crianças lá são mais independentes que as brasileiras. Vejam vocês, ele dos seus altos de 1a6m toma leite sozinho no COPO. pasmem: no copo de gente grande, mas de plástico, claro. Não usa chupeta, avisa quando faz cocô (ele faz pfrrlrlrllrlrlrl com a boca) e já demonstrava querer usar o penico. Anda ao lado do seu carrinho e quer saber tudo como funciona. Acho que em grande parte isso se deve ao fato de que a mãe estimula, ensina, mas de qualquer forma, é um barato ter visto ele todo independente.

Isto, aliás, é algo que sempre contestei aqui entre as mães brasileiras. Já vi casos de crianças de 3 anos que usavam fraldas, por puro comodismo materno e eu nunca achei que deveríamos tratar as crianças nem como adultos prematuramente e nem como bebês eternamente. Olhem, não me entendam como a chatamalaquenãotemfilho, mas eu acho por exemplo um absurdo gastar tufos de $ com um quartinho de bebê…. Meu, a criança nem vai ver nada!! Eu já disse pro marido que vamos combinar de o tema do quarto do nosso parasitinha que será: Escritório, já que ele vai dividir o quarto com o computador.

Mas isso é tema polêmico para outro post. 

Por enquanto quero que saibam que Londres está lotada de bebês lindos e em todos os lugares. Treinamos como futuros pais com o bebê, me diverti vendo as expressões dele com a Galinha Pintadinha para Iphone – santo remédio para crises de choro repentinas e dei muita comida e risadas com o bebê. Para fechar com chave de ouro, marido me perguntou: ” e aí, me saí bem como pai?” Quase ovulei de emoção! Ele se saiu muito bem, e eu fiquei só sonhando!

Ah, #alouca aqui, fez a primeira compra de gestante (?)! Comprei umas belly bands super úteis para cobrir a barriga e deixar para usarmos as mesmas calças com os botões abertos. Economia é a palavra da vez. Aliás, a loja que fui é um espetáculo materno. Chama-se Mothercare e tem absolutamente o mundo para grávidas e bebês. Eu queria comprar tudo #alouca2

E como tudo na vida tem que ter emoção, não é que minha menstruação atrasou? Era para ter vindo dia 11 e nada…. aí eu já estava toda esperançosa, rindo à toa, sentindo até enjôos (que nada tinham a ver com a porrada de chocolate que eu comi, claro) e me sentindo a grávida da Abbey Road, quando, claro, o destino dá aquela risadinha e me presenteia com um prenúncio de filme de terror sanguinolento bem no domingo depois de chegar no Brasil. Marido riu amarguinho, pois já tava meio empolgado com o possível parasitinha! rs

E é isso! amanhã, 22/11 completo 30 primaveras. Me deem parabéns? Adoro fazer aniversário!

Anúncios

10 comentários em “O treino maternal

  1. Parabéns, querida!! Que data redondinha para esperar um baby: “engravidei com 30.”. Acho chique. Hahaha
    Ai, que saudade de Londres!!!! Conta mais da viagem!!! O que fizeram por lá, como tava a cidade, adoro relatos de viagens!!
    Quanto à compra, ótima aquisição. E jura q se controlou para não comprar um montão de coisas? Rsrs
    Eu sempre percebi as crianças gringas mais independentes mesmo. Às vezes fico me perguntando se é fruto de uma criação sem apego. Tô meio confusa sobre o que pensar sobre esse assunto ainda. Que bom que ainda temos tempo pra formar opinião né? Rs
    Bem-vinda de volta! Bom ciclo pra vc! 😉

    Curtir

    1. Oi Nana!! Também acho chique datas redondinhas para feitos memoráveis. Oi, TOC? rsrsrs
      Ah, estou elaborando um relato da viagem e de coisas interessantes que vimos por lá! Tipo, TUDO! rs
      Olha, eu acho que sou mais adepta a essa criação européia, achei uma graça aquelas mini mãozinhas segurando um copão! rsrsrsrsr
      Bjoks e “é nóis nos treino, mano” heheh

      Curtir

  2. Que delícia conhecer Londres… Tenho mto vontade de conhecer os lados de lá =D
    Qto as crianças, eu acho que vai dos pais mesmo… Tenho uma amiga com filho de 1 ano e 5 meses e ele tb toma água e afins no copo de adulto, enquanto outra amiga tem uma filha de 2 anos que só toma líquidos na mamadeira.
    Pelo que ando lendo acho legal o lance da criação com afeto, mas não acho que isso tem relação direta com a independência da criança.
    Quero saber tudinho sobre os passeios, comidas e afins.
    Muitos Beijos

    Curtir

    1. Pois é, eu sou fã da criação com apego (amamentação em livre demanda, não deixar chorar, cama compartilhada, etc.) e não acredito que isso atrapalhe a independência da criança. Pelo contrário! Penso que essas coisas a deixam mais segura e confiante. Laura Gutman explica! 🙂

      Curtir

      1. Oi, Pat! Na verdade eu já estudei Bowlby, sei que o apego seguro leva à independência sim. Mas existe todo um processo, e um tempo da criança para chegar nos níveis de independência. Quando eu falei das minhas dúvidas em relação aos comportamentos, estava pensando mais naquele livro sobre a diferença das mães francesas sabe? Esse post exemplifica o que quis dizer. http://www.mulheremae.com.br/2012/03/educacao-francesa.html?m=1
        Vou tentar uma criação com apego sim, mas espero conseguir respeitar o tempo dele fazer as coisas, sem exigir uma independência muito precoce. E a criação do Bernardo eh um exemplo! 🙂 Bjo.

        Curtir

      2. Obrigada! 🙂 Já tinha ouvido falar nessa educação à francesa, li agora o post do link. E, como você deve imaginar, tô fora! rs! Deixar chorar, querer que o bebê durma sozinho aos 3 meses, colo limitado, etc., para mim, é anti natural. Vai contra meus instintos de mãe. Prefiro criar com apego mesmo, e ter um filho sociável, simpático, que sinta compaixão pelos outros. Assim vou sentir muito orgulho do Bernardo… Aliás, sinto desde já! Bjs!

        Curtir

  3. Oie! Londres é mesmo muito legal… Tbm já reparei, nas nossas viagens, diferenças na criação dos filhos. Já comentei com as pessoas que nos EUA, por exemplo, os pais já levam os bebês novinhos para passear (encontrei uma mulher passeando com uma bebê de 10 dias num píer, com vento gelado). No Brasil, eu era crucificada quando saía com Bernardo antes dos 3 meses (e eu saía meeesmo, rs). E meu filho nunca fica doente, até hoje!

    Lá nos EUA a gente vê bebê em tudo: restaurante, museu, viajando de avião, etc. Eu tbm carrego Bernardo a tiracolo sempre, mas a maioria das minhas conhecidas prefere criar os filhos numa bolha de higiene e segurança exagerada. Triste! Ah, desde antes de 1 ano meu filho bebe líquidos em copo, nunca usou chupeta, hoje com 1a5m quer empurrar o próprio carrinho (em vez de sentar nele). Acho que sou meio “gringa”! rs! Bjs

    Curtir

  4. Nossa vc fez aniversario no mesmo dia que uma amiga! Parabéns!
    Adorei o seu tema do quarto, me recuso a gastar rios de dinheiro com uma coisa q vai me custar MAIS pra desfazer qdo meu filho for mais velho!

    Aqui no Brasil é foda as mães tbm são mto folgadas, eu conheci uma mãe que o filho dela so tirou as fraldas aos 4 anos, imagina a situação dele na escolinha? E outra: ela nem trabalha só colocou na escolinha (desde os 6 meses) pq não queria cuidar mesmo. PODEISSO? Eu fico sem entender!
    Odeio tbm qdo alguém me fala “vou te da ruam chupeta” meu filho só vai usar chupeta por cima do meu cadáver! ai respondem “eu era assim tbm mas qdo o bebe nao parava de chorar só coloquei a chupeta e foi um alivio!” ahvah deixa de ser preguiçosa! Pra fazer o filho nao teve preguiça ne?

    Comentário longo mas necessário!
    Parabéns pelo aniversario de novo! Muitas felicidades nesse novo ano de vida 😀

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s